terça-feira, 15 de agosto de 2017

CONFIRA: HISTÓRICO DE NOTÍCIAS SOBRE LULA CABELEIRA, EX-PREFEITO DE DELMIRO GOLVEIA

Luiz Carlos Costa, o Lula Cabeleira
Dados de 2008

CONFIRA O HISTÓRICO DE NOTÍCIAS SOBRE LULA CABELEIRA

Em maio de 2008
1) Lula Cabeleira é preso pela morte de Fernando Aldo - http://www.pa4.com.br/noticias/560
  
Em 23/05/2008
2) Lula Cabeleira foi preso pela morte de Fernando Aldo - http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia-old.php?c=152767&e=12

Em 23/09/2017
3) Irmã de Fernando Aldo quebra o silêncio e fala sobre assassinato - http://www.pa4.com.br/noticias/17709

Em 12/10/2013
Em 24/10/2016
5) “Morte de Fernando Aldo foi um presente para Lula Cabeleira”, diz testemunha - http://www.alagoas24horas.com.br/1010222/morte-de-fernando-aldo-foi-um-presente-para-lula-cabeleira-diz-testemunha/

6) “É uma injustiça”, diz Lula Cabeleira sobre a prisão - http://www.alagoas24horas.com.br/760941/e-uma-injustica-diz-lula-cabeleira-sobre-a-prisao/

Genro de Lula Cabeleira, ex-prefeito de Delmiro, é assassinado a tiros em Alagoas

Rodrigo Alapenha, genro de Lula Cabeleira
O genro do ex-prefeito de Delmiro Gouveia, Luiz Carlos Costa, o ‘Lula Cabeleira’, foi executado na tarde de sexta-feira (11/08/2017), na Avenida Antônio José da Costa, no Conjunto Habitacional Rosa de Sharon, em Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas.

Segundo as primeiras informações colhidas pelo Portal Radar 89, Rodrigo Alapenha chegava a sua residência quando foi surpreendido por criminosos em um carro. Diversos tiros foram efetuados e a vítima morreu na hora.
Os bandidos conseguiram fugir. Equipes da Polícia Militar chegaram ao local poucos minutos após o crime.

As causas do crime ainda são desconhecidas. Rodrigo era empresário e bastante conhecido nas regiões de Alagoas e Pernambuco.

O delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti informou ao Portal Radar 89 que o Instituto de Criminalística (IC) já foi acionado para realizar as primeiras investigações.

Fonte: Tnh1 - http://www.tnh1.com.br/noticias/noticias-detalhe/policia/genro-de-lula-cabeleira-e-executado-a-tiros-em-delmiro-gouveia/?cHash=493a7d3587af42df1d4c6d8cf6b7f88b 


CONFIRA O HISTÓRICO DAS NOTÍCIAS SOBRE LULA CABELEIRA

Em maio de 2008
1) Lula Cabeleira é preso pela morte de Fernando Aldohttp://www.pa4.com.br/noticias/560
  
Em 23/05/2008
2) Lula Cabeleira foi preso pela morte de Fernando Aldo - http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia-old.php?c=152767&e=12

Em 23/09/2017
3) Irmã de Fernando Aldo quebra o silêncio e fala sobre assassinatohttp://www.pa4.com.br/noticias/17709

Em 12/10/2013
Em 24/10/2016
5) “Morte de Fernando Aldo foi um presente para Lula Cabeleira”, diz testemunha - http://www.alagoas24horas.com.br/1010222/morte-de-fernando-aldo-foi-um-presente-para-lula-cabeleira-diz-testemunha/

6) “É uma injustiça”, diz Lula Cabeleira sobre a prisão - http://www.alagoas24horas.com.br/760941/e-uma-injustica-diz-lula-cabeleira-sobre-a-prisao/


quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Grupo de Extermínio sequestrou e assassinou empresário carioca em São Miguel dos Milagres. Ex-policiais e políticos da região estariam envolvidos

A denúncia do promotor Thiago Chacon Delgado, do Ministério Público de Alagoas, contra José Aurélio Gomes, 45 anos, conhecido como Zeca do Lero, preso na terça-feira (08/08/2017) pela autoria intelectual da morte do empresário Henrique Ramos de Oliveira, de 24 anos, expõe a existência e atuação de um grupo de extermínio bastante ativo na região norte do Estado.

O grupo, comandado por Zeca do Lero, e que conta com policiais, ex-policiais e políticos da região, agiria com o objetivo de “limpar a região” de autores de furtos, roubos e tráfico. A prisão dos suspeitos pode, inclusive, levar à elucidação de novos crimes
No caso do empresário Henrique de Oliveira, no entanto, a motivação seria vingança. Henrique pagou com a própria vida o fato de ter se relacionado com a filha de Zeca do Lero. O relacionamento teria sido descoberto pelo pai da jovem, que decidiu se vingar do empresário carioca.
Ainda de acordo com a denúncia, Henrique teve a residência invadida por três homens por volta da meia-noite do dia 10/abril/2017, ordenados por Zeca do Lero, com o objetivo de encontrar armas e drogas na casa e estabelecimento do empresário e mesmo sem ter encontrado nada, o trio espancou brutalmente um jovem e sequestrou o empresário. 

A denúncia dá conta que após agredir o amigo de Sapo, o empresário foi arrastado para um veículo que foi flagrado pelas câmeras de monitoramento de um posto de combustíveis, levado a um matagal e morto com requintes de crueldade. A denúncia descreve como "horas de terror e grande sofrimento físico ao qual a vítima foi submetida".
Fonte: Alagoas 25 Horas - http://www.alagoas24horas.com.br/1081925/morte-de-empresario-expoe-atuacao-de-grupo-de-exterminio-e-plano-de-vinganca/

Empresário carioca é sequestrado e assassinado em São Miguel dos Milagres

Um jovem empresário de 24 anos identificado como Henrique Ramos de Oliveira, conhecido como “Sapo”, foi sequestrado após ter tido a sua casa arrombada na madrugada de segunda-feira (10/04/2017), em São Miguel dos Milagres, Litoral Norte do Estado.
Henrique é carioca e estaria morando em Alagoas há menos de um ano, ele foi feito refém junto com um amigo, que terá a identidade preservada, por três homens armados que invadiram a residência.
O trio estava encapuzado e com calças militares, eles espancaram os dois jovens com tacos de sinuca e amarraram. Após as sucessivas agressões, o trio decidiu levar Henrique  Ramos de Oliveira além de um televisor e um videogame. “O nosso amigo disse que o trio entrou dizendo que era da polícia, aí amarraram os dois e levaram o Henrique. Até onde eu sei eles teriam dito que a tatuagem dele [uma cruz de São Bento] seria um símbolo de membros do PCC, o que nada tem a ver, era uma tatuagem comum que nós brincávamos dizendo que era uma ‘cruz de coroinha’”, diz a amiga Marília Albuquerque.
Ainda segundo a amiga, até o fato do roubo de apenas dois objetos de valor da casa já deixa amigos e familiares intrigados. “Henrique não tinha inimizades e o trio não era nada amador, acredito que eles tenham levado a TV e o videogame somente para despistar porque dentro da casa havia objetos de mais valor como um laptop”, revela a amiga.Com o possível sequestro, o caso foi levado para a Polícia Civil. Os pais de Henrique Ramos de Oliveira desembarcaram em Maceió, na manhã de terça-feira (11/04/2017). o jovem tinha um estabelecimento chamado "Terra do Nunca Pub" que funcionava no mesmo local que foi invadido.
Fonte: Alagoas 24 Horas - http://www.alagoas24horas.com.br/1051424/criminosos-invadem-residencia-e-levam-empresario-de-24-anos-em-sao-miguel-dos-milagres/

CORPO ENCONTRADO

O grupamento Aéreo da Segurança Pública localizou, na quarta-feira (12/04/2017), o corpo, no Litoral Norte de Alagoas do empresário Henrique Ramos de Oliveira, conhecido como “Sapo”, que desapareceu na madrugada da segunda-feira (10/04/2017), depois de ser espancado e sequestrado por desconhecidos, no município de São Miguel dos Milagres, onde mora.

As informações iniciais divulgadas pela assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança (SSP) dão conta que uma equipe do Instituto de Criminalística foi enviada ao local por determinação do secretário Lima Junior para realizar os procedimentos necessários na identificação.


sexta-feira, 28 de julho de 2017

MEU NOME É MULTIDÃO - Lêdo Ivo


Ando sempre seguido
por  vozes e cartazes

e minha mão segura

uma ficha com um número
de ordem e chamada.

Ninguém sabe meu nome.

Vem de um alto-falante
uma voz sem garganta

que me mantém anônimo.

Entro na fila até para 
tomar banho de mar

ou morre no hospital.

Sou uma simples 
na rua ou no guichê.

Uma ficha vermelha

sob o sol inquebrável
de minha solidão.

Ao contemplar o boeing

sou sem rosto e sem nome.
Quando o patrão me paga

as máquinas me somam.

Num trem, rumo ao subúrbio
subo e desço num gráfico

sobre dormentes podres.

Quando entro no cinema
ou a polícia me algema

onde quer que eu esteja

no sonho ou no mercado
sou simples estatística

tíquete, chapa ou ficha.

(O choro do berçário
e o não do plebiscito
não passam de algarismos.)

Meu nome é multidão
muito embora figure

na minha certidão

de idade um tal João
com sobrenome e tudo.

(Esse tudo que é nada

coisa imensa e insondável
o rival do céu mudo.)

Com a ficha na mão

paro no protocolo.
Mostro o cartão. Peroro.

Provo que sou humano.

Pago, recebo e como
e amo, odeio e choro.

Chego a fazer ginástica

que o ar de minha graça
é de matéria plástica

enquanto o alto-falante

me chama em toda parte
por meus diversos nomes:

Ficha azul! Dezessete!

E, na fila do mundo,
um número entre números,

avanço, logo existo!

Lêdo Ivo - Poeta alagoano.

Temer o Golpista manda para o Congresso projeto que cobra mensalidade em todas as Universidades públicas


Depois de congelar pelos próximos 20 anos os investimentos reais em educação e acabar com a CLT por meio da aprovação do projeto de terceirização geral e irrestrita no País, o governo Michel Temer quer, agora, cobrar mensalidades em Universidades e Institutos Federais.

A cobrança foi defendida com veemência pela secretária-executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, em reunião com dirigentes da Federação do Sindicato de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico (Proifes-Federação), no mês passado em Brasília (DF). As informações estão na página da própria Federação.


"Eu sou de universidade, defendo a educação pública, mas acho que temos de olhar para a situação real. Não podemos criar situações incompatíveis com o mundo que estamos vivendo, de queda de receita, de mudança no paradigma da economia do país. Nós só aumentamos em folha de pagamento", afirmou Maria Helena durante a reunião. Logo depois, a secretária citou as realidades do ensino superior em Portugal, Inglaterra, França e Alemanha. "Aliás, nem sei ainda que países têm universidades públicas plenamente gratuitas para todos, independente da situação sócio-econômica. O Brasil não pode ficar fora do mundo real", disse.


Para o ex-ministro da Educação do governo Dilma Rousseff, Aloizio Mercadante, a proposta de cobrança de mensalidades nas Universidades e nos Institutos Federais é um retrocesso sem precedentes e vai aumentar a exclusão na educação superior. "Esse processo faz parte do golpe que realiza uma ofensiva contra todos os avanços sociais que tivemos na última década, que foram os maiores da história recente do Brasil", afirmou.



Mercadante disse que na realidade brasileira, em que o ensino superior é predominantemente privado, o grande problema para a inclusão e para a permanência dos mais pobres nas universidades é a renda. "Para enfrentarmos a questão da renda, implementamos programas fundamentais, como o ProUni, o Fies e a política de cotas, e avançamos de maneira sem precedentes no resgate de um passado de exclusão social na educação", disse o ex-ministro.



Segundo Mercadante, "a educação brasileira é retardatária, resultado de um capitalismo tardio, marcado por quase quatro séculos de escravidão e por um passado colonial, que deixaram cicatrizes profundas em nossa história".


O ex-ministro recordou que a Universidade de Bolonha foi fundada em 1088, a de Paris 1170, a de Cambridge em 1290, a de Salamanca em 1218, a de Coimbra em 1290 e nas Américas, Harvard em 1636. "No Brasil, a primeira universidade data de 1920, quando todos os países da América Latina já possuíam uma ou mais universidades", afirmou. "Estão propondo um atraso inaceitável para a educação brasileira. A universidade é educação, pesquisa, inovação e extensão", finaliza.



FHC 



A necessidade de cobrança de mensalidade nas universidades federais foi fortemente defendida pelos governos Fernando Henrique Cardoso (PSDB), de 1995 a 2002, período em que Maria Helena ocupou a presidência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e a mesma secretaria executiva do MEC.



O assunto ficou fora da pauta nacional por 13 anos, durante os governos do PT, momento em que as Universidades e Institutos Federais, em razão do Reuni, experimentaram o maior crescimento da história.



Contrato entre Casal e empresa privada é de R$ 289 milhões e dura 30 anos

O Governo deixou de lado- ao menos por enquanto- a proposta de privatização da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).
Mas, não por acaso.
Paralela à estatal de água e esgoto está a Sanama- a Saneamento Alta Maceió S.A, que administra uma concessão administrativa de 30 anos, ao custo de R$ 289.544 milhões.
O que está escrito?
Segundo o Contrato de Concessão Administrativa número 079/2014, celebrado entre a Sanama e a Casal, há 4 objetivos. Três deles: implantar, operar e manter o sistema de esgotamento sanitário na parte alta de Maceió, incluindo a estação de tratamento de água do bairro do Benedito Bentes. Quarto objetivo: realizar serviços complementares ao da estatal alagoana, relativos à leitura de hidrômetros, fiscalização, cobrança e gestão comercial. Para quê? Está lá, escrito: “incremento de arrecadação da Casal”.
E por que o Governo lançou, na sexta-feira (08/06/2017), um convênio para investimentos ao custo de R$ 100 milhões?
Porque o contrato entre a empresa privada Sanama e a Casal, até o final do ano passado, estava em fase de pré-operação. Renan Filho (PMDB) quer acelerar a execução deste contrato.
Mas, isso depende- em Maceió- de reforço na estrutura do pier do Emissário Submarino, na praia do Pontal da Barra (ele recebe e trata o esgoto para despejar no mar), além de ampliar as redes coletoras, naquilo que está de fora do acordo com a Sanama.
Segundo o Governo, os R$ 100 milhões também vão para sistemas de abastecimento de água, reservatórios, interligação com poços e o Laboratório de Água e Esgoto.
Sem esquecer que, na execução deste plano, apenas em Maceió, está a Sanama, constituída em 8 de outubro de 2014, no Governo Teotônio Vilela Filho (PSDB). E mantida pela era Renan Filho.

Governo Renan Filho (PMDB) apressa o passo para privatizar a CASAL


Sindicato dos Urbanitários protestam contra a privatização da Casal
O governador Renan Filho (PMDB) ratificou na segunda-feira (24/07/2017) a dispensa de licitação com objetivo de contratar o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para redesenhar o modelo de concessão da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).
O banco vai dar um diagnóstico sobre a companhia, incluindo um novo modelo de negócios na área de saneamento e abastecimento de água no Estado.
Eis os caminhos a serem adotados pelo governador: privatização (venda) da Casal- através de leilão- ou aumentar a participação do capital privado na companhia de economia mista.
Renan Filho adiantou que não pretende vender a estatal. Será? E o que é a privatização? O que ganha Renan Filho ao vender o que não é de sua propriedade? A Casal é um patrimônio dos alagoanos!

Dados: Alagoas ocupa o 3º lugar em extrema pobreza

Um estudo divulgado terça-feira (25/07/2017) pela Fundação Abrinq aponta que Alagoas é o estado do Nordeste com mais jovens e crianças vivendo em situação de pobreza. No quadro nacional, entre os brasileiros de zero a 14 anos, 40,2% se encontram em situação de pobreza. O percentual corresponde a mais de 17,3 milhões de jovens pobres no Brasil. 
Os números mostram que 66% das crianças de Alagoas, entre 0 e 14 anos, estão vivendo em situação de pobreza, sendo seguido por Maranhão (62,4%), Ceará (61%), Bahia (60,8%), e Pernambuco (60,5%). Na contramão, destacam-se Rio Grande do Sul (24,9%), Paraná (24,5%), São Paulo (21,2%), Distrito Federal (20,2%) e Santa Catarina (17,7%) com melhores percentuais.  A média nacional é de 40%. 
Ainda conforme os números, quando analisado o quadro de pobreza extrema do Nordeste, Alagoas ocupa a terceira colocação, ficando atrás apenas dos estados do Maranhão e do Ceará.
Segundo o relatório, que tem como base os dados do ano de 2015, as regiões Norte e Nordeste concentram os maiores índices de crianças e adolescentes em situação de pobreza, com 54% e 60,6% de jovens nessa condição, cada uma delas. 
O estudo feito pela Abrinq usou como base o salário de R$ 788 que estava em vigor em 2015. O valor foi usado para mensurar a renda dos indivíduos e suas famílias e também na delimitação da linha da pobreza e comparação da renda em território nacional.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Vídeo: Demagogia? Governo "luta" para baixar preço da gasolina em Alagoas, Renan Filho é um sucesso!

O governo de Alagoas "entrou na campanha contra o cartel dos postos de combustíveis" e até prometeu reduzir o preço da gasolina para R$ 3,20 o litro. 
Mas esqueceram de avisar ao governador Renan Filho (PMDB), que Alagoas tem a quarta maior alíquota do país e para baixar o preço do produto o governo tem que reduzir também a alíquota dos combustíveis, que hoje é de 29%. 
Hoje o preço da gasolina em Alagoas chega a R$ 4,08. "Governo de Alagoas, trabalhando sério a gente chega lá"!
video

Fonte: Extra Alagoas/Alagoas na Contra mão - http://novoextra.com.br/sururu/35862/demagogia

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Governo Renan Filho: TARIFA DE ÁGUA AUMENTA QUASE 50% NOS ÚLTIMOS 4 ANOS

A tarifa da água deve ficar mais cara para os alagoanos a partir do dia 1º de julho. Os consumidores terão que pagar 9,76% a mais pelo serviço, de acordo com o reajuste autorizado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Alagoas (Arsal). 
A resolução do órgão está publicada no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (1º).
A decisão já havia sido promulgada pelo colegiado da Arsal no último dia 19. 
Com isso, a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) fica autorizada a reajustar as tarifas de abastecimento de água para todas as categorias de consumo. O aumento acontece de forma linear.
A resolução, assinada pelo diretor-presidente da Agência Reguladora, Marcus Antônio Vieira de Vasconcelos, entra em vigor já a partir da data de publicação.
A assessoria de comunicação da Casal, por sua vez, emitiu nota à imprensa para explicar o reajuste, destacando o aumento no custo dos insumos. Confira, abaixo, a íntegra da nota:
A Arsal autorizou a aplicação do reajuste de 9,76% na tarifa de água e esgoto, a partir de 1º de julho, para o ciclo 2017/2018, após estudos e auditorias realizados na Companhia, com base em planilha de custos dos serviços prestados pela Casal. 

O cálculo realizado pela Arsal levou em conta pontos como o aumento da energia elétrica e, principalmente, o aumento no custo dos insumos, a exemplo de vários produtos químicos destinados ao tratamento da água. Taxados em dólar, os preços dos insumos sofreram alta entre 18,41% e 55,31%.

Também foram analisados o reajuste salarial e a proposta de investimentos da Casal, na ordem de R$ 103 milhões, para expansão e modernização dos serviços prestados em todo o estado no biênio.

O percentual (9,76%) representa a média de reajustes aplicados em outras companhias de saneamento do Nordeste, como as do Ceará (12,9%), Paraíba (12,39%), Rio Grande do Norte (9,46%) e Bahia (8,8%).


O detalhe interessante é que o aumento das tarifas de água em Alagoas foram:

·         Em 2014 foi de 10,36% a partir de 1º de julho;
·         Em 2015 foi de 12,41% a partir de 1º de junho;
·         Em 2016 foi de 16,50% a partir de 1º de julho e
·         Em 2017 vai ser de 09,76% a partir de 1º de julho

De quanto foi o aumento do seu salário? De quanto foi o aumento do salário dos servidores públicos do Estado de Alagoas? E por que os esgotos da cidade continuam sendo despejados no mar sem saneamento básico?

FAÇA VALER SUA INDIGNAÇÃO!!!!!!!!!!!!

Em 2014:

A tarifa de água vai ficar mais cara em Alagoas a partir de julho deste ano. O reajuste de 10,36% foi aprovado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal) e publicado no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (04/06/2014). 

Na publicação, a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) explica que o aumento acima da inflação, que foi de 5,91% em 2013, se deu por conta dos custos com produtos químicos para o tratamento da água e com energia elétrica. 

A Casal afirma ainda que o reajuste é para melhorar a prestação dos serviços do fornecimento de água e de coleta de esgoto sanitário.


Em 2015:

A tarifa de água da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) está 12,41% mais cara. O valor que será cobrado de forma retroativa, levando em consideração o consumo a partir de 1º de junho de 2015, foi aprovado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal).


De acordo com a Arsal, a diretoria colegiada considerou na aprovação do reajuste, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), desta terça-feira (28), o aumento de 35,23% na tarifa de energia elétrica, em agosto de 2014, e a implantação da bandeira vermelha (em fevereiro deste ano), elevando os custos da  Casal em quase 70%.


Como também, a variação cambial que aumentou os custos com os produtos destinados ao tratamento da água.


Em 2016:

Proposto pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), o reajuste tarifário dos serviços de abastecimento de água e coleta de esgoto, de 16,5%, foi autorizado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos (Arsal), com vigência a partir de 1º de julho deste ano.

Publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (23), o reajuste válido para o ciclo 2016/2017 foi aprovado pela diretoria colegiada da Arsal, tendo como base, principalmente, o aumento de 8,48% na tarifa de energia elétrica, previsto para agosto de 2016, elevando os custos da Casal em quase 40%.

Para concessão do reajuste, a Arsal também levou em conta a variação cambial, que aumentou os custos com produtos destinados ao tratamento da água.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Caseiro de ex-prefeito de Palestina é sequestrado e assassinado em Alagoas

Vítima: José Arnóbio Feitosa, 64 anos
Corpo de caseiro sequestrado foi encontrado por populares na manhã do domingo (28/maio/2017), na zona rural do município de Jacaré dos Homens. 
A vítima, identificada como José Arnóbio Feitosa, 64, trabalhava como caseiro do ex-prefeito da cidade de Palestina, Júnior Alcântara, quando teria sido surpreendido por dois homens encapuzados e um outro de cara limpa que chegaram a chácara chamando o caseiro por seu apelido 'Abel'. 
O caseiro estava com seu filho de apenas 8 anos de idade, que teria aberto a porteira achando que os suspeitos se tratavam de amigos do pai. 

Abel foi levado pelos criminosos no último sábado (27/05/2017), enquanto o filho gritava por socorro. Familiares e amigos chegaram no local e iniciaram buscas pela vítima, mas não tiveram sucesso em encontrar o caseiro, que foi localizado já sem vida na manhã deste domingo, próximo a um local de depósito de lixo e com marcas de sangue na região da cabeça.
Familiares estiveram no local e reconheceram o corpo como sendo de Abel, mas afirmaram não saber as motivações para o crime, a polícia investiga o crime. O Corpo do caseiro foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca, para os devidos procedimentos.
Ex-prefeito Júnior Alcântara já foi preso e é acusado d crimes pelo GECOC

Em 05/fevereiro/2013, o Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) do Ministério Público Estadual ofereceu denúncia e pediu a prisão do ex-prefeito do município de Palestina José Alcântara Júnior, mais conhecido como 'Júnior Alcântara' e de outras 15 pessoas, dentre ex-servidores públicos, ex-secretários municipais e um empresário. Todos são acusados de integrar uma organização criminosa que praticou os crimes de apropriação de verbas públicas, fraudes em licitações, peculato furto, falsificação de documento particular, falsidade ideológica, uso de documento falso e formação de quadrilha. O valor que teria sido desviado ultrapassa os R$ 762 mil. A Deic cumpriu 16 mandados de prisão. Todos foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital. O ex-prefeito foi preso e encaminhado à Casa de Custódia da Polícia Civil.

Os crimes foram praticados durante a gestão de José Alcântara Júnior, mais precisante entre os anos de 2009 e 2012. Como era o prefeito de Palestina à época, ele é apontado como o chefe da organização criminosa e liderou um grupo de ex-funcionários que trabalhavam na Comissão Permanente de Licitação - Manoel Messias da Graça, Fernando Jorge Miranda dos Santos, José Vanildo dos Santos, Francisco de Assis Ferreira, Luciano Lucena de Farias e Francisco de Assis Costa da Silva - e nas Secretarias de Assistência Social, Saúde, Finanças, Administração, Educação e Obras e Urbanismo – Crizélia de Melo Alcântara, Elysson José Damasceno Gomes, Gedilson Costa da Silva, Djalma Alencar da Silva, Ana Paula Oliveira Souza e Eumanio Melo da Silva, respectivamente. Também fizeram parte do esquema ilícito os empresários Alberto Rodrigues de Oliveira, sócio da Construnorte Construções e Serviços LTDA e Eraldo do Leite, representante legal da mesma empresa.

As investigações do Gecoc começaram em 2012 e, após a análise de farta documentação aprendida durante cumprimentos de mandados de busca e apreensão expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital e pelo Juízo da comarca de Delmiro Gouveia, ficou comprovado que vários processos foram dolosamente manipulados e fraudados nos anos de 2010 e 2011, o mesmo tendo acontecido nas licitações realizadas entre os anos de 2008 e 2010. O valor do prejuízo somou R$ 762.432,90.
Quadrilha fraudou documentação de empresas
 O Gecoc fez uma análise criteriosa nos balancetes do Município dos anos de 2010 e 2011 por exemplo, e após a realização desse trabalho, comprovou que o grupo criminoso fraudou documentos em nome da dezenas de empresas. Construtora Farias Omena, Alfa Epi's Comércio LTDA, H.F.Calheiros e Cia LTDA, Comferral Comércio de Ferragens LTDA, Energy Instalações Elétricas LTDA, Cunha e Melo LTDA, J.A. Construção LTDA, Costa Comércio e Representações LTDA e Virtual Computer Informática LTDA estão entre os estabelecimentos que foram vítimas dos acusados.
Em depoimentos prestados ao Gecoc, os donos e representantes das referidas empresas e de outros 20 estabelecimentos negaram já ter prestado serviços ou vendido quaisquer produtos à Prefeitura de Palestina e garantiram que as notas fiscais atribuídas a eles são falsas.
“Os processos de pagamento relacionados ao adimplamento das obrigações supostamente contraídas nos anos de 2010 e 2011 pelo Município de Palestina foram fraudadas de forma grosseira e acintosa pela organização criminosa comandada pelo denunciado José Alcântara Júnior com o intuito de se apropriar criminosamente do dinheiro público destinado ao pagamento de serviços e de obras supostamente contratadas e não realizadas, bem como destinado ao pagamento dos fornecimentos de materiais que jamais foram entregues, causando profundo prejuízo à municipalidade que, em consequência, vê-se privada de ações que visem à melhoria da qualidade de vida de sua população”, diz trecho da denúncia.
Ainda de acordo com o MPE, parte dos documentos que deveriam ter sido recolhidos não foram localizados durante o cumprimento dos mandados, o que significa dizer que outras empresas também podem ter sido lesadas criminalmente pela quadrilha. “O ex-prefeito Júnior Alcântara, líder do bando criminoso, providenciou a ocultação dos mesmos”, acusa o Gecoc.
Obras que não aconteceram e produtos não adquiridos
As licitações fraudadas envolveram prestação de serviços não realizados e supostas compras de material. Foram abertos processos para aquisição de produtos e equipamentos de informática e eletro-eletrônicos e para a contratação de obras de terraplanagem, desobstrução de riachos e serviços de engenharia e recuperação de trechos da malha viária da cidade.
Durante as investigações, Eraldo do Leite, representante legal da Construnorte Construções e Serviços LTDA e que figura também na condição de denunciado, contribuiu com o trabalho do Gecoc. O acusado admitiu que havia fraude nas licitações, disse que ele próprio falsificou notas fiscais e que, para algumas das obras contratadas, a Construnorte sequer tinha o maquinário necessário para a execução do serviço.
A denúncia do Gecoc também alega que a maior parte dos contratos firmados foram considerados de 'fachada': 'são destituídos de qualquer eficácia, haja vista que não foram publicados na imprensa oficial e, nem tampouco, em qualquer outro lugar, em uma clara demonstração de que não havia interesse em que a suposta celebração dos mesmos chegassem ao conhecimento do público e produzissem seus efeitos externos, já que a intenção do aludido gestor era, simplesmente, simular a criação de um suposto encargo que servisse de camuflagem para a apropriação integral das verbas”, revela outra parte da denúncia.
Todos acusados foram denunciados pela prática dos crimes de apropriação de verbas públicas, fraudes em licitações, peculato furto, falsificação de documento particular, falsidade ideológica, uso de documento falso e formação de quadrilha.
Contra Júnior Alcântara, o MPE apresentou denúncia o acusando do cometimento do crime de fraude em licitação por seis vezes. Ele também teria praticado, por 100 vezes consecutivas, o ilícito de apropriação de bens ou rendas públicas ou desvio de dinheiro em proveito próprio ou alheio, por 31 vezes, o crime de falsificação de documento particular e, por 33, o uso de documento falso. A falsidade ideológica teria sido cometida por ele em seis ocasiões e por todas essas acusações, ele recebeu a acusação de chefiar o esquema criminoso.
Os demais membros da quadrilha e o empresário Alberto Rodrigues de Oliveira foram denunciados pelos mesmos crimes. Este último, participava das fraudes para conseguir beneficiar sua empresa. À denúncia, foram acostados 411 documentos, dentre eles,34 termos de declarações. Nela, o Ministério Público de Alagoas, além da prisão, também pede que os réus sejam condenados à suspensão dos direitos políticos pelo período de cinco anos, para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, sem prejuízo da reparação civil do dano causado ao patrimônio público ou particular.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Vídeo: Jornalista alagoano citado em delação da JBS é acusado de chantagear delator

Jornalista Claudio Humberto
O conteúdo das delações premiadas dos executivos do grupo JBS trouxe revelações que envolvem negociatas com a mídia. Circulam nos corredores de Brasília, que o jornalista alagoano Cláudio Humberto, proprietário do site Diário do Poder, crítico do governo Lula/Dilma, é um dos nomes que aparece nos depoimentos de Ricardo Saud, diretor de relações institucionais da JBS, ele teria revelado às autoridades a negociação de pagamentos em dinheiro para que o jornalista deixasse de "bater", omitindo os fatos da Operação Lava a Jato que envolvessem a empresa e os empresários.

No dia 19 de novembro de 2014, Cláudio Humberto Rosa e Silva escreveu matéria onde citava Joesley Batista, dono da JBS, como "Rei do Gado" e Ricardo Saud como "homem da mala". Esse material teria sido objeto do acordo financeiro. A quantia de 18 mil reais estaria sendo paga mensalmente, para acalmar o jornalista. Cláudio Humberto foi homem forte no Palácio do Planalto durante o Governo do presidente Fernando Collor. Sua coluna circula diariamente em vários jornais do Brasil, inclusive, na Gazeta de Alagoas.

A mídia, que capta recursos públicos em publicidade, tem conhecidos personagens que adotam a prática da chantagem como convencimento. A desconstrução - ou não - é a barganha dos que atuam no submundo do noticiário político. Cabe a sociedade fazer juízo de valor em meio a tantas informações que circulam diariamente.
As acusações colocam em dúvida a credibilidade do trabalho de Cláudio Humberto e expõe o modus operandi, da mídia vendida - comprada, que pode ser finalmente desmontado.

O site do jornalista Cláudio Humberto trouxe a informação de que as declarações de Saud, em juízo, se trata de vingança.