sábado, 14 de outubro de 2017

Estado de Alagoas é o 5º que mais adultera combustível no Brasil


Num momento em que o País passa por sucessivos aumentos no preço dos combustíveis – o mais recente aconteceu na sexta-feira (13/outubro/2017), quando a Petrobras anunciou reajuste de 0,80% para a gasolina e de 0,20% no valor do diesel –, Alagoas ostenta um posto (sem duplo sentido) inconveniente: é o quinto Estado que mais adultera combustível do País, segundo boletim de fiscalização da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). 

No primeiro semestre deste ano, de acordo com o documento, quase metade das 101 fiscalizações realizadas em postos de combustíveis alagoanos resultaram em autuações. Foram 43, sendo que seis delas culminaram em interdição da empresa. Segundo a agência reguladora, a interdição é a medida cautelar aplicada em algumas situações, como a venda de combustível com problemas de qualidade ou para impedir a comercialização de produto em desacordo com as especificações da ANP. 

“Durante uma ação de fiscalização, os fiscais da ANP verificam no posto a qualidade dos combustíveis (se estão dentro das especificações da ANP), itens referentes a exigências de segurança e de proteção ao meio ambiente, prestação de informações corretamente ao consumidor, documentação, entre outros itens relacionados ao cumprimento das normas da agência”, informa a instituição.

Segundo a entidade, no momento em que a ANP identifica que cessaram as causas da interdição, conforme estabelece a Lei nº 9.847/99, realiza a desinterdição, mas o posto continua respondendo a um processo administrativo, que pode resultar em multas de até R$ 5 milhões.

Para se ter uma ideia do trabalho da agência, basta dizer que o número de autuações realizadas nos seis primeiros meses deste ano foi maior do que o registrado durante todo o ano passado, quando foram autuados 40 dos 148 postos de combustíveis fiscalizados. Na comparação entre semestres, o número de autuações a postos de combustíveis de Alagoas este ano cresceu 377% em relação ao primeiro semestre do ano passado, quando foram realizadas 40 ações de fiscalização, com nove autos de infração.


terça-feira, 19 de setembro de 2017

Rui Palmeira (PSDB) corta orçamento da Educação e reajusta em 210% verba de propaganda


O prefeito Rui Palmeira (PSDB) sancionou, finalmente, o Orçamento 2015 da Prefeitura de Maceió. A Lei Orçamentária Anual (LOA) foi publicada no Diário Oficial do Município de segunda-feira (16/fevereiro/2015).

A votação do Orçamento na Câmara Municipal de Maceió foi marcada por polêmicas em torno, principalmente, do duodécimo do Legislativo, que aumentou cerca de 4,5% – de R$ 52,7 milhões, para R$ 55 milhões.
O aumento do Legislativo Municipal é proporcional ao Orçamento global, que cresceu de R$ 2,033 bilhões em 2014 para R$ 2,135 bilhões em 2015, uma diferença 5,01%.
Entre as ‘novidades’ da LOA 2015 está a redução dos gastos
com uma das áreas consideradas essenciais. A Secretaria Municipal de Educação terá uma redução de -3,68% na sua dotação orçamentária, que cai de R$ 356 milhões para R$ 343 milhões.   Considerando a inflação, o município vai gastar -10% com o setor este ano.
O Orçamento da Saúde, o maior, com R$ 648 milhões, aumentou apenas 1,27% em relação a 2014, perdendo, claro, para a inflação.
Outras secretarias consideradas importantes também registraram perda de orçamento. É o caso de Esportes e Lazer, que teve sua dotação reduzida de R$ 6,4 milhões para R$ 2,2 milhões, em queda de -65,44%. Situação praticamente idêntica foi a da Pasta do Meio Ambiente, que teve seu orçamento reduzido em -65,19% para R$2,6 milhões.
Em contrapartida algumas pastas tiveram aumento significativo na sua dotação. É o caso das Secretarias de Administração (21,57%), Trabalho (39%), SMTT (41%), Slum (34%). Mas nesse quesito o destaque vai para dois órgãos cujos gestores estão entre os mais influentes na atual gestão. A Fundação de Ação Cultural, que costuma realizar eventos culturais na área nobre de Maceió terá um aumento de 67,52% no seu Orçamento, que cresceu de R$ 6,1 milhões em 2014 para R$ 10,3 milhões em 2015.
Nada se compara, no entanto, ao Orçamento da Comunicação. A dotação da Secom vai aumentar de R$ 7,8 milhões em 2014 para R$ 24,3 milhões em 2015, numa comprovação de que o secretário Clayton Santos continua fortalecido na atual gestão.
O aumento da verba para a Secom é também um sinal de que o prefeito Rui Palmeira deve aumentar os gastos com publicidade, uma medida que pode ajudar a reverter a acentuada queda de popularidade de sua administração.
Investimentos
Abro aqui um parêntese sobre despesas com comunicação:  são tão importantes quanto qualquer outra. Investir em comunicação deve ser prioridade de qualquer gestor. Não só para fazer propaganda de suas ações, mas para melhorar a qualidade dos serviços públicos. Quando bem aplicados, recursos em comunicação viram investimentos, que podem ajudar a aproximar o cidadão do gestor.
O Orçamento
De acordo com a lei Nº. 6.363 de 13 fevereiro de 2015, “A receita total estimada, compreendendo o Orçamento Fiscal e da Seguridade Social, é de R$ 2.135.562.464 (dois bilhões, cento e trinta e cinco milhões, quinhentos e sessenta e dois mil, quatrocentos e sessenta e quatro reais) e terá o seguinte desdobramento:
1.      Orçamento Fiscal equivalente a R$ 1.248.646.929 (hum bilhão, duzentos e quarenta e oito milhões, seiscentos e quarenta e seis mil, novecentos e vinte e nove reais); e
2.      Orçamento de Seguridade Social R$ 886.915.535 (oitocentos e oitenta e seis milhões, novecentos e quinze mil,quinhentos e trinta e cinco reais).

Art. 3º – A despesa total fixada, compreendendo o Orçamento Fiscal e da Seguridade Social, é de R$ 2.135.562.464 (dois bilhões, cento e trinta e cinco milhões, quinhentos e sessenta e dois mil, quatrocentos e sessenta e quatro reais).

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Assassinatos em Alagoas aumentam 45% no mês de agosto

O número de homicídios registrados pelas estatísticas da Secretaria de Segurança Pública de Alagoas aumentou 45% entre o mês de julho e agosto de 2017.
Foram 161 assassinatos contra 111, em julho.
Segundo os números do Governo, este foi o pior mês de agosto desde 2015 em crimes violentos.
As estatísticas da SSP- antes Secretaria de Defesa Social- são publicadas desde 2011. E, quando se compara apenas os meses de agosto dos anos 2011 a 2017, a maior quantidade de assassinatos foi registrada em 2011: 180.
Em agosto de 2012, caiu para 161; no mesmo mês, em 2013, 150 assassinatos; em 2014 e 2015, 134; em 2016, 145.
Foram assassinadas 1.302 pessoas de janeiro a agosto deste ano. Média de cinco pessoas  mortas por dia.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Deputado alagoano gasta R$ 37.212,28 mil em bilhetes aéreos em um único dia, afirma site


Só no mês de agosto, o deputado federal por Alagoas Nivaldo Albuquerque (PRP) gastou R$ 37.212,28 com a emissão de bilhetes aéreos bancados pela Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar. 
Segundo Portal da Transparência da Câmara dos Deputados, foram 68 emissões expedidas em um único dia, 1º de agosto.
Sendo assim, Albuquerque foi o parlamentar que mais gastou com esse serviço, que representa mais de 30% dos gastos da bancada alagoana nos meses de julho e agosto.

As despesas com a emissão de bilhetes aéreos chegou a R$ 125.452,32, sendo que somando todos os outros tipos de gastos, os parlamentares usaram R$ 377.550,28 do chamado cotão.

Vídeo: Em Matriz de Camaragibe população denuncia violência policial do BPRV

Sessão na Câmara de Vereadores na cidade de Matriz de Camaragibe, litoral norte alagoano, mostrou casos de violência policial do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRV).
Centro da discussão era a ação policial no sábado (09/setembro/2017), na AL 101 Norte, que passa no entorno da cidade. População acusa uma viatura da BPRV de atropelar, de propósito, um motociclista. O caso foi registrado pelo blog.
Representantes da PM foram à Câmara e disseram que os casos serão apurados. E pediu ajuda da população no combate ao crime.
Segundo o vice-prefeito Mário Melo, “não podemos aceitar o abuso de autoridade. Eu discordo da entrada da amarelinha no município”.
Amarelinha é como são conhecidas as guarnições da BPRV, identificadas pela cor dos veículos.
As pessoas denunciavam que uma mulher, carregando a feira para casa, na rua, quase foi atropelada pela BPRV; em outro caso, a viatura partiu para cima de condutor de uma moto.
“Cala a sua boca”, reproduzia um morador ao ter sido abordado, “cala boca seu merda”. “Fiquei envergonhado. Eu não tenho mais pai, mais mãe, eu achei que o policial estava me protegendo”. Abordou o filho dele e ameaçou. “Se correr, atiro em você”. Ele quase foi preso por um policial. E não foi por causa de uma policial, que o defendeu. “Eu presenciei colocando carro emplacado no guincho e dizendo assim: ‘Vai lá buscar’. A mesma equipe, o mesmo policial agredindo meu genro, e queria tomar o celular dele que estava filmando. É permitido policial abordar a pessoa e ela filmar?”, perguntava; “cala boca seu cabra safado”, reproduzia um dos moradores da cidade. A equipe do BPRV, que realizou a ação no último sábado, era chamada de “despreparada”.
O padre Gilberto, que está na cidade há 8 meses, presenciou- ele mesmo- violência policial. “Eu presenciei e me arrependi porque não filmei. Quando cheguei vi 3 policiais abordar adolescentes. Tiraram o menino de dentro do carro, botaram, tiraram. Bateram, bateram. Puxou a cueca de um deles de dentro da calça e rasgaram. Qual orientação é dada quando se aborda alguém?”. Pediu que o combate à criminalidade infanto-juvenil com políticas sociais não com agressão.
Ex-prefeito da cidade, Marquinhos disse que os casos não acontecem só em Matriz, mas recebe demandas sobre o assunto. Afirma que as pessoas chegaram a tramar pôr fogo no fórum, em protesto à atitude da polícia.
Dedi Evangelista, vereador, questionou os critérios usados pela BPRV paa abordagem policial. Disse não ser contra a abordagem. Chama de “arbitrariedades” certas posições, como a apreensão de veículos, usando “palavras ríspidas” com a população.
Disse que, no último sábado, a viatura da BPRV estava na contramão. “A questão são as abordagens arbitrárias”. Os policiais pedem identificação mas os próprios policiais tiram os crachás da farda.
Segundo o vereador Leunam, “o que está acontecendo na cidade é abuso de autoridade. A BPRV invade nosso município, de acordo com o Código Nacional de Trânsito. Ela não tem autoridade nem autonomia e criou esta dúvida que, ora, culpa o prefeito ou ora culpa os vereadores”.
Disse também que estava em um restaurante, no sábado, quando viu viatura do batalhão em alta velocidade. Quando foi informado que um cidadão foi atropelado por uma viatura.
Único local que a BPRV pode atuar é na AL 101 e não dentro da cidade, segundo ele informou. Questionava a forma de abordagem da polícia de trânsito em Matriz. Uma das vítimas era filho de um policial. “É essa invasão do nosso município que vem causando este atrito”.
Vereador Mário Galdino também criticou a atuação da polícia e falou de casos de violência usados pela BPRV.
Segundo o coronel Albuquerque, da BPRV, “atuamos para dar segurança à população”. Disse que “cidadão de bem tem de ser tratado como deve ser tratado”. Falou ainda que “ações isoladas não representam a Polícia Militar de Alagoas”. E, em Matriz, há 3 meses não havia homicídios.
“A PM pode atuar dentro e fora [da cidade]. Nós vamos acompanhar as ações do batalhão. Não vamos permitir ações sem nosso acompanhamento. Senão tiver agindo conforme a legislação, vamos tomar as providências cabíveis”. Explicou que há convênio para atuar nas estradas e qualquer município, “em multas e infrações estaduais”. Não pode atuar em casos de multas municipais porque depende de convênio entre município e Detran- no caso da falta de órgão de trânsito.
Propôs ainda realizar palestras nas salas de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Falou que “vai caçar” quem comete crimes em Matriz, trabalho integrado com as policiais mais presídios.
Disse que as operações podem ser filmadas. “Quem não deve não teme”. Diz que há policiais que andam com câmeras para filmar a própria ação.
Coronel Henrique, comandante do 6º Batalhão de Maragogi, disse que só pode ser filmado se o policial quiser ser filmado.”O que não se pode direcionar a filmagem para ridicularizar a imagem”.
Assista aos vídeos:


terça-feira, 15 de agosto de 2017

CONFIRA: HISTÓRICO DE NOTÍCIAS SOBRE LULA CABELEIRA, EX-PREFEITO DE DELMIRO GOLVEIA

Luiz Carlos Costa, o Lula Cabeleira
Dados de 2008

CONFIRA O HISTÓRICO DE NOTÍCIAS SOBRE LULA CABELEIRA

Em maio de 2008
1) Lula Cabeleira é preso pela morte de Fernando Aldo - http://www.pa4.com.br/noticias/560
  
Em 23/05/2008
2) Lula Cabeleira foi preso pela morte de Fernando Aldo - http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia-old.php?c=152767&e=12

Em 23/09/2017
3) Irmã de Fernando Aldo quebra o silêncio e fala sobre assassinato - http://www.pa4.com.br/noticias/17709

Em 12/10/2013
Em 24/10/2016
5) “Morte de Fernando Aldo foi um presente para Lula Cabeleira”, diz testemunha - http://www.alagoas24horas.com.br/1010222/morte-de-fernando-aldo-foi-um-presente-para-lula-cabeleira-diz-testemunha/

6) “É uma injustiça”, diz Lula Cabeleira sobre a prisão - http://www.alagoas24horas.com.br/760941/e-uma-injustica-diz-lula-cabeleira-sobre-a-prisao/

Genro de Lula Cabeleira, ex-prefeito de Delmiro, é assassinado a tiros em Alagoas

Rodrigo Alapenha, genro de Lula Cabeleira
O genro do ex-prefeito de Delmiro Gouveia, Luiz Carlos Costa, o ‘Lula Cabeleira’, foi executado na tarde de sexta-feira (11/08/2017), na Avenida Antônio José da Costa, no Conjunto Habitacional Rosa de Sharon, em Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas.

Segundo as primeiras informações colhidas pelo Portal Radar 89, Rodrigo Alapenha chegava a sua residência quando foi surpreendido por criminosos em um carro. Diversos tiros foram efetuados e a vítima morreu na hora.
Os bandidos conseguiram fugir. Equipes da Polícia Militar chegaram ao local poucos minutos após o crime.

As causas do crime ainda são desconhecidas. Rodrigo era empresário e bastante conhecido nas regiões de Alagoas e Pernambuco.

O delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti informou ao Portal Radar 89 que o Instituto de Criminalística (IC) já foi acionado para realizar as primeiras investigações.

Fonte: Tnh1 - http://www.tnh1.com.br/noticias/noticias-detalhe/policia/genro-de-lula-cabeleira-e-executado-a-tiros-em-delmiro-gouveia/?cHash=493a7d3587af42df1d4c6d8cf6b7f88b 


CONFIRA O HISTÓRICO DAS NOTÍCIAS SOBRE LULA CABELEIRA

Em maio de 2008
1) Lula Cabeleira é preso pela morte de Fernando Aldohttp://www.pa4.com.br/noticias/560
  
Em 23/05/2008
2) Lula Cabeleira foi preso pela morte de Fernando Aldo - http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia-old.php?c=152767&e=12

Em 23/09/2017
3) Irmã de Fernando Aldo quebra o silêncio e fala sobre assassinatohttp://www.pa4.com.br/noticias/17709

Em 12/10/2013
Em 24/10/2016
5) “Morte de Fernando Aldo foi um presente para Lula Cabeleira”, diz testemunha - http://www.alagoas24horas.com.br/1010222/morte-de-fernando-aldo-foi-um-presente-para-lula-cabeleira-diz-testemunha/

6) “É uma injustiça”, diz Lula Cabeleira sobre a prisão - http://www.alagoas24horas.com.br/760941/e-uma-injustica-diz-lula-cabeleira-sobre-a-prisao/


quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Grupo de Extermínio sequestrou e assassinou empresário carioca em São Miguel dos Milagres. Ex-policiais e políticos da região estariam envolvidos

A denúncia do promotor Thiago Chacon Delgado, do Ministério Público de Alagoas, contra José Aurélio Gomes, 45 anos, conhecido como Zeca do Lero, preso na terça-feira (08/08/2017) pela autoria intelectual da morte do empresário Henrique Ramos de Oliveira, de 24 anos, expõe a existência e atuação de um grupo de extermínio bastante ativo na região norte do Estado.

O grupo, comandado por Zeca do Lero, e que conta com policiais, ex-policiais e políticos da região, agiria com o objetivo de “limpar a região” de autores de furtos, roubos e tráfico. A prisão dos suspeitos pode, inclusive, levar à elucidação de novos crimes
No caso do empresário Henrique de Oliveira, no entanto, a motivação seria vingança. Henrique pagou com a própria vida o fato de ter se relacionado com a filha de Zeca do Lero. O relacionamento teria sido descoberto pelo pai da jovem, que decidiu se vingar do empresário carioca.
Ainda de acordo com a denúncia, Henrique teve a residência invadida por três homens por volta da meia-noite do dia 10/abril/2017, ordenados por Zeca do Lero, com o objetivo de encontrar armas e drogas na casa e estabelecimento do empresário e mesmo sem ter encontrado nada, o trio espancou brutalmente um jovem e sequestrou o empresário. 

A denúncia dá conta que após agredir o amigo de Sapo, o empresário foi arrastado para um veículo que foi flagrado pelas câmeras de monitoramento de um posto de combustíveis, levado a um matagal e morto com requintes de crueldade. A denúncia descreve como "horas de terror e grande sofrimento físico ao qual a vítima foi submetida".
Fonte: Alagoas 25 Horas - http://www.alagoas24horas.com.br/1081925/morte-de-empresario-expoe-atuacao-de-grupo-de-exterminio-e-plano-de-vinganca/

Empresário carioca é sequestrado e assassinado em São Miguel dos Milagres

Um jovem empresário de 24 anos identificado como Henrique Ramos de Oliveira, conhecido como “Sapo”, foi sequestrado após ter tido a sua casa arrombada na madrugada de segunda-feira (10/04/2017), em São Miguel dos Milagres, Litoral Norte do Estado.
Henrique é carioca e estaria morando em Alagoas há menos de um ano, ele foi feito refém junto com um amigo, que terá a identidade preservada, por três homens armados que invadiram a residência.
O trio estava encapuzado e com calças militares, eles espancaram os dois jovens com tacos de sinuca e amarraram. Após as sucessivas agressões, o trio decidiu levar Henrique  Ramos de Oliveira além de um televisor e um videogame. “O nosso amigo disse que o trio entrou dizendo que era da polícia, aí amarraram os dois e levaram o Henrique. Até onde eu sei eles teriam dito que a tatuagem dele [uma cruz de São Bento] seria um símbolo de membros do PCC, o que nada tem a ver, era uma tatuagem comum que nós brincávamos dizendo que era uma ‘cruz de coroinha’”, diz a amiga Marília Albuquerque.
Ainda segundo a amiga, até o fato do roubo de apenas dois objetos de valor da casa já deixa amigos e familiares intrigados. “Henrique não tinha inimizades e o trio não era nada amador, acredito que eles tenham levado a TV e o videogame somente para despistar porque dentro da casa havia objetos de mais valor como um laptop”, revela a amiga.Com o possível sequestro, o caso foi levado para a Polícia Civil. Os pais de Henrique Ramos de Oliveira desembarcaram em Maceió, na manhã de terça-feira (11/04/2017). o jovem tinha um estabelecimento chamado "Terra do Nunca Pub" que funcionava no mesmo local que foi invadido.
Fonte: Alagoas 24 Horas - http://www.alagoas24horas.com.br/1051424/criminosos-invadem-residencia-e-levam-empresario-de-24-anos-em-sao-miguel-dos-milagres/

CORPO ENCONTRADO

O grupamento Aéreo da Segurança Pública localizou, na quarta-feira (12/04/2017), o corpo, no Litoral Norte de Alagoas do empresário Henrique Ramos de Oliveira, conhecido como “Sapo”, que desapareceu na madrugada da segunda-feira (10/04/2017), depois de ser espancado e sequestrado por desconhecidos, no município de São Miguel dos Milagres, onde mora.

As informações iniciais divulgadas pela assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança (SSP) dão conta que uma equipe do Instituto de Criminalística foi enviada ao local por determinação do secretário Lima Junior para realizar os procedimentos necessários na identificação.


sexta-feira, 28 de julho de 2017

MEU NOME É MULTIDÃO - Lêdo Ivo


Ando sempre seguido
por  vozes e cartazes

e minha mão segura

uma ficha com um número
de ordem e chamada.

Ninguém sabe meu nome.

Vem de um alto-falante
uma voz sem garganta

que me mantém anônimo.

Entro na fila até para 
tomar banho de mar

ou morre no hospital.

Sou uma simples 
na rua ou no guichê.

Uma ficha vermelha

sob o sol inquebrável
de minha solidão.

Ao contemplar o boeing

sou sem rosto e sem nome.
Quando o patrão me paga

as máquinas me somam.

Num trem, rumo ao subúrbio
subo e desço num gráfico

sobre dormentes podres.

Quando entro no cinema
ou a polícia me algema

onde quer que eu esteja

no sonho ou no mercado
sou simples estatística

tíquete, chapa ou ficha.

(O choro do berçário
e o não do plebiscito
não passam de algarismos.)

Meu nome é multidão
muito embora figure

na minha certidão

de idade um tal João
com sobrenome e tudo.

(Esse tudo que é nada

coisa imensa e insondável
o rival do céu mudo.)

Com a ficha na mão

paro no protocolo.
Mostro o cartão. Peroro.

Provo que sou humano.

Pago, recebo e como
e amo, odeio e choro.

Chego a fazer ginástica

que o ar de minha graça
é de matéria plástica

enquanto o alto-falante

me chama em toda parte
por meus diversos nomes:

Ficha azul! Dezessete!

E, na fila do mundo,
um número entre números,

avanço, logo existo!

Lêdo Ivo - Poeta alagoano.

Temer o Golpista manda para o Congresso projeto que cobra mensalidade em todas as Universidades públicas


Depois de congelar pelos próximos 20 anos os investimentos reais em educação e acabar com a CLT por meio da aprovação do projeto de terceirização geral e irrestrita no País, o governo Michel Temer quer, agora, cobrar mensalidades em Universidades e Institutos Federais.

A cobrança foi defendida com veemência pela secretária-executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, em reunião com dirigentes da Federação do Sindicato de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico (Proifes-Federação), no mês passado em Brasília (DF). As informações estão na página da própria Federação.


"Eu sou de universidade, defendo a educação pública, mas acho que temos de olhar para a situação real. Não podemos criar situações incompatíveis com o mundo que estamos vivendo, de queda de receita, de mudança no paradigma da economia do país. Nós só aumentamos em folha de pagamento", afirmou Maria Helena durante a reunião. Logo depois, a secretária citou as realidades do ensino superior em Portugal, Inglaterra, França e Alemanha. "Aliás, nem sei ainda que países têm universidades públicas plenamente gratuitas para todos, independente da situação sócio-econômica. O Brasil não pode ficar fora do mundo real", disse.


Para o ex-ministro da Educação do governo Dilma Rousseff, Aloizio Mercadante, a proposta de cobrança de mensalidades nas Universidades e nos Institutos Federais é um retrocesso sem precedentes e vai aumentar a exclusão na educação superior. "Esse processo faz parte do golpe que realiza uma ofensiva contra todos os avanços sociais que tivemos na última década, que foram os maiores da história recente do Brasil", afirmou.



Mercadante disse que na realidade brasileira, em que o ensino superior é predominantemente privado, o grande problema para a inclusão e para a permanência dos mais pobres nas universidades é a renda. "Para enfrentarmos a questão da renda, implementamos programas fundamentais, como o ProUni, o Fies e a política de cotas, e avançamos de maneira sem precedentes no resgate de um passado de exclusão social na educação", disse o ex-ministro.



Segundo Mercadante, "a educação brasileira é retardatária, resultado de um capitalismo tardio, marcado por quase quatro séculos de escravidão e por um passado colonial, que deixaram cicatrizes profundas em nossa história".


O ex-ministro recordou que a Universidade de Bolonha foi fundada em 1088, a de Paris 1170, a de Cambridge em 1290, a de Salamanca em 1218, a de Coimbra em 1290 e nas Américas, Harvard em 1636. "No Brasil, a primeira universidade data de 1920, quando todos os países da América Latina já possuíam uma ou mais universidades", afirmou. "Estão propondo um atraso inaceitável para a educação brasileira. A universidade é educação, pesquisa, inovação e extensão", finaliza.



FHC 



A necessidade de cobrança de mensalidade nas universidades federais foi fortemente defendida pelos governos Fernando Henrique Cardoso (PSDB), de 1995 a 2002, período em que Maria Helena ocupou a presidência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e a mesma secretaria executiva do MEC.



O assunto ficou fora da pauta nacional por 13 anos, durante os governos do PT, momento em que as Universidades e Institutos Federais, em razão do Reuni, experimentaram o maior crescimento da história.



Contrato entre Casal e empresa privada é de R$ 289 milhões e dura 30 anos

O Governo deixou de lado- ao menos por enquanto- a proposta de privatização da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).
Mas, não por acaso.
Paralela à estatal de água e esgoto está a Sanama- a Saneamento Alta Maceió S.A, que administra uma concessão administrativa de 30 anos, ao custo de R$ 289.544 milhões.
O que está escrito?
Segundo o Contrato de Concessão Administrativa número 079/2014, celebrado entre a Sanama e a Casal, há 4 objetivos. Três deles: implantar, operar e manter o sistema de esgotamento sanitário na parte alta de Maceió, incluindo a estação de tratamento de água do bairro do Benedito Bentes. Quarto objetivo: realizar serviços complementares ao da estatal alagoana, relativos à leitura de hidrômetros, fiscalização, cobrança e gestão comercial. Para quê? Está lá, escrito: “incremento de arrecadação da Casal”.
E por que o Governo lançou, na sexta-feira (08/06/2017), um convênio para investimentos ao custo de R$ 100 milhões?
Porque o contrato entre a empresa privada Sanama e a Casal, até o final do ano passado, estava em fase de pré-operação. Renan Filho (PMDB) quer acelerar a execução deste contrato.
Mas, isso depende- em Maceió- de reforço na estrutura do pier do Emissário Submarino, na praia do Pontal da Barra (ele recebe e trata o esgoto para despejar no mar), além de ampliar as redes coletoras, naquilo que está de fora do acordo com a Sanama.
Segundo o Governo, os R$ 100 milhões também vão para sistemas de abastecimento de água, reservatórios, interligação com poços e o Laboratório de Água e Esgoto.
Sem esquecer que, na execução deste plano, apenas em Maceió, está a Sanama, constituída em 8 de outubro de 2014, no Governo Teotônio Vilela Filho (PSDB). E mantida pela era Renan Filho.

Governo Renan Filho (PMDB) apressa o passo para privatizar a CASAL


Sindicato dos Urbanitários protestam contra a privatização da Casal
O governador Renan Filho (PMDB) ratificou na segunda-feira (24/07/2017) a dispensa de licitação com objetivo de contratar o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para redesenhar o modelo de concessão da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).
O banco vai dar um diagnóstico sobre a companhia, incluindo um novo modelo de negócios na área de saneamento e abastecimento de água no Estado.
Eis os caminhos a serem adotados pelo governador: privatização (venda) da Casal- através de leilão- ou aumentar a participação do capital privado na companhia de economia mista.
Renan Filho adiantou que não pretende vender a estatal. Será? E o que é a privatização? O que ganha Renan Filho ao vender o que não é de sua propriedade? A Casal é um patrimônio dos alagoanos!

Dados: Alagoas ocupa o 3º lugar em extrema pobreza

Um estudo divulgado terça-feira (25/07/2017) pela Fundação Abrinq aponta que Alagoas é o estado do Nordeste com mais jovens e crianças vivendo em situação de pobreza. No quadro nacional, entre os brasileiros de zero a 14 anos, 40,2% se encontram em situação de pobreza. O percentual corresponde a mais de 17,3 milhões de jovens pobres no Brasil. 
Os números mostram que 66% das crianças de Alagoas, entre 0 e 14 anos, estão vivendo em situação de pobreza, sendo seguido por Maranhão (62,4%), Ceará (61%), Bahia (60,8%), e Pernambuco (60,5%). Na contramão, destacam-se Rio Grande do Sul (24,9%), Paraná (24,5%), São Paulo (21,2%), Distrito Federal (20,2%) e Santa Catarina (17,7%) com melhores percentuais.  A média nacional é de 40%. 
Ainda conforme os números, quando analisado o quadro de pobreza extrema do Nordeste, Alagoas ocupa a terceira colocação, ficando atrás apenas dos estados do Maranhão e do Ceará.
Segundo o relatório, que tem como base os dados do ano de 2015, as regiões Norte e Nordeste concentram os maiores índices de crianças e adolescentes em situação de pobreza, com 54% e 60,6% de jovens nessa condição, cada uma delas. 
O estudo feito pela Abrinq usou como base o salário de R$ 788 que estava em vigor em 2015. O valor foi usado para mensurar a renda dos indivíduos e suas famílias e também na delimitação da linha da pobreza e comparação da renda em território nacional.